quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Eu sou exatamente como as palavras. Surjo sem forçar, me moldo e me encaixo com tamanha facilidade em qualquer lugar que tenho um pouco de espaço e estou quase sempre querendo dizer algo. As vezes sou mal interpretada e geralmente nem lida. Mas me permito aceitar os tantos jeitos de ser entendida. Não me limito e só por falta de espaço me fragmento. Porém só quem tem a paciência e força de vontade terá a possibilidade de entender todos esses pontos finais maus colocados, essas minhas vírgulas desnecessárias, essa minha extravagância com pontos de exclamações e tantas interrogações. Palavras fazem parte de mim, e como eu tenho meus apetrechos e manias permito que elas também tenham suas pontuações e adereços. E por fim, ainda espero por algum leitor que não me abandone nas primeiras linhas só porque não se encaixou no que eu quis dizer. Por vezes, o melhor do texto está no meio ou quase no final, onde poucas são as pessoas que se atrevem a chegar. Nada que é explícito é surpreendente!!! De transparente já basta essas palavras. a.v

Nenhum comentário:

Postar um comentário